EUDALDO MONÇÃO JR.
134 visualizações

Atualizado em 05 de jun. de 24

Memorabilia Filmes & produções culturais realiza curso de realização audiovisual com foco no patrimônio da cidade de Guaxupé

Formação híbrida possibilitará que os participantes realizem um filme em conjunto tendo como foco o patrimônio vivo, material e imaterial de Guaxupé


CURSO MEMORABILIA CINEMA & PATRIMÔNIO, tem como objetivo incentivar a realização audiovisual em Guaxupé e região, contemplando em sua maioria, estudantes da rede pública de ensino, no qual o acesso à produção cinematográfica é quase inexistente. O curso será realizado aos sábados do mês de julho, das 08h às 12h, em formato híbrido, com aulas virtuais e encontros presenciais para execução do cronograma de realização do filme estudantil e contemplará as gravações de cenas e outras demandas do filme que será proposto durante a formação que terá uma carga horária de 30 horas, distribuídas em quatro encontros, além das orientações em grupo. Durante a formação, os participantes deverão produzir uma obra de curta-metragem de gênero de sua preferência, tendo como foco o patrimônio vivo, material e imaterial de Guaxupé, oportunizando a construção de um acervo comunitário de narrativas visuais, orais, sobre o território e sua importância para a cidade, sobre a história, o cotidiano e a cultura local. 


O curso de formação audiovisual visa apresentar, através de uma vivência prática, toda a problemática existente na elaboração de uma produção cinematográfica, contextualizando formas e técnicas empregadas para a realização de vídeos, ambientada em um universo de personagens e linguagens próprias de uma realidade característica de Guaxupé


A formação contemplará até 20 participantes de todas as faixas etárias, com foco em pessoas residentes em zonas de vulnerabilidade social, selecionados conforme parâmetros de diversidade sendo eles: 40% de estudantes negros; 40% de estudantes brancos; e 20% de estudantes indígenas; c) 30% de profissionais LGBTQIA+; d) 20% de pessoas com deficiência (PcD); Haverá ainda reseva de vagas para estudantes regularmente matriculados na rede pública de ensino. Caso não existam estudantes inscritos que permitam cumprir as cotas acima estabelecidas, a coordenação do projeto garantirá o máximo de diversidade possível. 


Este projeto é idealizado e coordenado por Eudaldo Monção Jr. (Canô), também facilitador do Curso Memorabilia Cinema e Patrimônio. A produção é de Ana Elisa Leite Ribeiro (Lik Ribeiro). O curso é um realização Memorabilia Filmes viabilizado através da LEI COMPLEMENTAR 195/2022 (LEI PAULO GUSTAVO), contemplado no EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2023 - AUDIOVISUAL.


Com prestação de serviços culturais na cidade de Guaxupé desde novembro de 2022, Memorabilia Filmes & Produções culturais já realizou na cidade, exibições cinematográficas como o Dia Internacional da Animação e o Circuito Tela Verde. Produziu o Programa de Rádio (Sintonizados), realizado em comemoração aos 100 anos do Rádio no Brasil, que foi transmitido em todas as rádios do país através da Rádio Câmara dos Deputados, além da realização dos filmes (Cinemas de Rua de Guaxupé), e (Da cela a sala), em desenvolvimento. 




Sobre o facilitador do curso:



EUDALDO MONÇÃO ROCHA JÚNIOR (CANÔ)

Coordenador de projeto e facilitador do Curso Memorabilia Cinema e Patrimônio

eudaldo_edited_edited_edited.jpg

Canô é graduado em Comunicação Social com habilitação em Audiovisual pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Pós graduado em Cinema e Linguagem Audiovisual pela Faculdade Alfa América. Possui extensão universitária em Comunicação e Linguagens Midiáticas pela Universidade Estadual da Bahia (UNEB), Roteiro para a produção de vídeos estudantis pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Audiovisuais: arte, técnica e linguagem pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), Roteiro para documentário no Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE), Construção de mundos ficcionais e Modelos de Serialidades na Usina do Drama/Universidade Federal da Bahia (UFBA). Formação complementar na 7ª Oficina de Audiovisual do Núcleo de Produção e Pesquisa em Audiovisual da Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Nova de Lisboa (ICNOVA), VII Oficina de Produção Audiovisual da Fundação Getúlio Vargas (FGV/ CPDOC), Oficina de Realização Audiovisual pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPDOV). Diretor do documentário (O Muro é o Meio) filme licenciado para o Canal Brasil e exibido em diversos festivais nacionais e internacionais com destaque para a participação na 25º edição do Curta Cinema - Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro. Vencedor do prêmio aquisição EBC/TV Brasil, de melhor curta-metragem da 10º Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo, mostra que exibiu o documentário em todas as capitais brasileiras e em outros mil espaços culturais no ano de 2015. Produtor do curta-metragem de ficção "Do outro lado do rio", premiado no Curta-se 11 - Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, 22ª Kinoforum em São Paulo, Mostra Visorama do Festival Visões Periféricas no Rio de Janeiro, e exibido no Festival Signes de Nuit em Paris- França. Selecionado no 8°e 9º edital de curtas do Canal Futura para a produção dos documentários (Louça de Deus) e (Cine Rio Branco). Diretor do documentário (Carretéis), projeto selecionado no 1º edital DOC Futura para a realização de curtas-metragens. Coordenador e curador da Mostra Cinemas do Brasil, projeto realizado em 42 cidades do país, em Tel Aviv, Israel e na televisão pela TVE Bahia/IRDEB, através do Edital de Mobilidade Artística do Governo do Estado da Bahia. Produtor, diretor, roteirista e montador dos documentários (A bondade dos estranhos), (Cinemas de rua de Aracaju), (Arte urbana por elas). Colaborador do SESC SE com a realização de projetos de formação audiovisual como o curso de documentário (2017), onde resultou a obra experimental (Lembranças do Rio Sergipe) e professor do Módulo 2 (Produção audiovisual com dispositivos móveis), do curso promovido pelo Núcleo Audiovisual SESC/SE, tendo resultado nos filmes estudantis (Viva São João - Um resgate da cultura junina sergipana), (Ilusão), (O time do povo) e (Visões). Coordenou o Curso Virtual de Realização Audiovisual no Recôncavo em parceria com a FUNCEB - Fundação Cultural do Estado da Bahia através de proposta contemplada no Edital Prêmio das Artes Jorge Portugal com recurso da Lei Aldir Blanc. Ministrou os módulos de Produção, Direção, Roteiro, fotografia e Edição do Curso Vivência Audiovisual do Núcleo Audiovisual do SESC/SE, com carga horária de 160 horas.




SERVIÇO:



Curso Memorabilia Cinema & Patrimônio


Inscreva-se até 01 de junho pelo site do projeto

https://cursoaudiovisual.wixsite.com/guaxupe 


Vagas: 20


Carga horária: 30 horas 


Aulas aos sábados: 06/07, 13/07, 20/07, 27/07, das 08h às 12h.


Formato: Virtual e presencial




CONTATO:


Telefone: (11) 9 - 8157-4424

E-mail: eudaldo.moncao@gmail.com / memorabiliafilmes@gmail.com 


Acompanhe pelo instagram https://www.instagram.com/memorabiliafilmes/ 

e pelo site https://cursoaudiovisual.wixsite.com/guaxupe


bookmark
myClappy
EUDALDO MONÇÃO JR.
87 visualizações
EUDALDO MONÇÃO JR.
112 visualizações

Atualizado em 03 de jun. de 24

O I Festival Cinema na Faixa movimentou a AV. Chesf neste final de semana


O evento cinematográfico e cultural aconteceu no último final de semana na esquina da Av. Chesf com a Rodovia João Bebe Água em São Cristóvão.


A primeira edição do Festival Cinema na Faixa, aconteceu neste fim de semana e  contemplou uma variedade de ações culturais e artísticas às margens da Rodovia João Bebe Água. No sábado, a programação começou com apresentação da Banda Bahise, que tocou diversos ritmos e embalou o público que aguardava o atendimento aos serviços de bem-estar e saúde proporcionados pelo festival, como corte de cabelo, teste de glicemia, aferição de pressão, plantão psicológico e outros. A literatura também teve espaço no primeiro dia do festival. Os autores Osman Freitas (Voe mais alto) e Vera Vilar (Apneia) tiveram no âmbito da programação, a oportunidade de lançar suas obras literárias e de conversar com o público sobre seus trabalhos. 


Serviços de saúde e bem-estar foram oferecidos no âmbito do I Festival Cinema na Faixa.


No primeiro dia de exibição das mostras integrantes do festival, o público pôde conferir os filmes das Mostras Infantil, Tela Verde e Competitiva São Cristóvão, que contou também com a presença de realizadores que compartilharam brevemente com o público, questões referentes aos filmes e locais onde foram produzidos. Estiveram presentes Baruch Blumberg, diretor do filme (Clandestino) exibido na Mostra Infantil, Manoela Veloso, diretora do filme (Farinhada), exibido na Mostra Tela Verde e Henrique César, diretor do filme (Sapito e a lagoa), integrante da Mostra Competitiva São cristóvão, além de Marilia Cristielle, Flaviane Vieira e Dedinha Ramos, realizadoras do mini documentário (Passe na Faixa), produzido durante a oficina de realização audiovisual proporcionada pelo I Festival Cinema na Faixa, que foi ministrada pelo realizador e produtor audiovisual Eudaldo Monção Jr. 

O público pode conferir a ação gastronômica (Cozinha Show) com a Chef Mônica Valois.


No domingo, o segundo dia de programação contou com uma ação gastronômica e cultural proporcionada pela Chef de Cozinha Mônica Valois, intitulada Cozinha Show, que  teve foco em um dos pratos mais tradicionais da gastronomia nordestina: o cuscuz. O Momento proporcionou a apresentação do prato regional (Cuscuz recheado com carne de caju e queijo coalho), os processos para fazer a carne de caju, modos de temperar a carne, além da montagem do prato. Teve também, oficina de grafite para iniciantes mediada pela grafiteira Deza. O público composto por crianças e jovens, experimentou as técnicas de pintura com spray e rolinho numa parede da comunidade, onde deixaram gravado o nome do festival. 


Oficina de grafite com Deza, proporcionada pelo I Festival Cinema na Faixa


As exibições cinematográficas começaram no final da tarde com exibição das Mostras Direitos Humanos, Acessível e Competitiva Sergipe. O festival novamente proporcionou o momento de interação dos realizadores com o público, que pode conhecer um pouco mais sobre as obras exibidas através da fala de seus diretores. Estiveram presentes Bruno Costa, diretor do filme (O Muro), Fellipe Paixão, diretor do filme (A live), Natally Janielle, diretora do filme (Apps de relacionamento: Febre ou furada?), Humberto Batista, ator do filme (Jamais serei seu pai), todos concorrentes na Mostra Competitiva Sergipe, além do realizador Cariolando dos Santos, diretor e roteirista do filme (Sinal vermelho: A arte de rua pede passagem), integrante da Mostra Diretos Humanos do festival. 


Henrique César, diretor do filme premiado na categoria São Cristóvão e Thais Mendes, produtora executiva do I Festival Cinema na Faixa. 


O Festival Cinema na Faixa premiou os melhores filmes das mostras São Cristóvão e Sergipe. O Júri oficial composto por Zezita Matos (Atriz), Elizabete Sampaio (Diretora e produtora), Lucas Dorea (Fotógrafo) e Mar Alves (Ator), concedeu o prêmio de melhor filme da Mostra São Cristóvão para (Sapito e a lagoa de Henrique César de São Cristóvão/SE), pelo contexto crítico social necessário para uma análise sobre o comportamento humano, por evidenciar um problema atual que se assemelha a uma realidade do que é a Faixa (Av. Chesf). O júri concedeu ainda na Mostra São Cristóvão, uma menção honrosa para o filme (Romaria do Senhor dos Passos de Cléverton Macedo), pela capacidade de proporcionar um enriquecimento sobre o conhecimento a respeito da cidade de São Cristóvão e a sua cultura religiosa, além do encantamento que o filme desperta no espectador para conhecer e viver a cidade.


O júri conferiu o prêmio de Melhor Filme da Mostra Sergipe do I Festival Cinema na Faixa para (Geruzinho de Juliana Teixeira, Luli Morante e Rafael Amorim, de Aracaju/SE) O júri destacou a obra como um trabalho visual de excelência para a representação de pessoas com um ideal, através de seus contos históricos e culturais. O júri concede ainda nesta categoria, as menções honrosas ao ator Bruno Brani, do filme (Um longa metragem sobre Fernando Pessoa) de Bruno Brani. A atriz Elisa Lemos do filme (Espelho) de Luciana Oliveira e ao ator Humberto Batista do filme (Jamais serei seu pai) de Jhon Kennedy Mauricio e Manoel Calixto.


Coincidentemente, o júri popular formado pelo público que teve oportunidade de escolher os melhores filmes de cada mostra competitiva através de cédula de votação, elegeu também, (Sapito e a lagoa de Henrique César de São Cristóvão/SE), como o melhor filme da Mostra São Cristóvão e (Geruzinho de Juliana Teixeira, Luli Morante e Rafael Amorim, de Aracaju/SE), como o melhor filme da Mostra Competitiva Sergipe, sendo os mais votados pelo público. A cerimônia encerrou com a entrega dos troféus, certificados e brindes aos vencedores. 


Parte de equipe do I Festival Cinema na Faixa durante encerramento do evento


O festival é uma realização Memorabilia Filmes, coordenado e produzido por Thaís Mendes e Eudaldo Monção Jr, com produção de Dedinha Ramos. O projeto está sendo viabilizado com recursos da Lei Paulo Gustavo, contemplado através do Edital nº 003/2023 de Chamamento Público para a Seleção de Projetos Audiovisuais promovido pela Prefeitura Municipal De São Cristóvão, por intermédio da FUMCTUR - Fundação Municipal De Cultura E Turismo “João Bebe Água”.



Mais em: https://memorabiliafilmes.wixsite.com/cinemanafaixa 


Siga no Instagram @CinemanaFaixa e @MemorabiliaFilmes

memorabilia filmes Comunidades e periferias são cristóvão são cristóvão/se
bookmark
myClappy
bookmark
myClappy
EUDALDO MONÇÃO JR.
112 visualizações

Atualizado em 03 de jun. de 24

O I Festival Cinema na Faixa movimentou a AV. Chesf neste final de semana


O evento cinematográfico e cultural aconteceu no último final de semana na esquina da Av. Chesf com a Rodovia João Bebe Água em São Cristóvão.


A primeira edição do Festival Cinema na Faixa, aconteceu neste fim de semana e  contemplou uma variedade de ações culturais e artísticas às margens da Rodovia João Bebe Água. No sábado, a programação começou com apresentação da Banda Bahise, que tocou diversos ritmos e embalou o público que aguardava o atendimento aos serviços de bem-estar e saúde proporcionados pelo festival, como corte de cabelo, teste de glicemia, aferição de pressão, plantão psicológico e outros. A literatura também teve espaço no primeiro dia do festival. Os autores Osman Freitas (Voe mais alto) e Vera Vilar (Apneia) tiveram no âmbito da programação, a oportunidade de lançar suas obras literárias e de conversar com o público sobre seus trabalhos. 


Serviços de saúde e bem-estar foram oferecidos no âmbito do I Festival Cinema na Faixa.


No primeiro dia de exibição das mostras integrantes do festival, o público pôde conferir os filmes das Mostras Infantil, Tela Verde e Competitiva São Cristóvão, que contou também com a presença de realizadores que compartilharam brevemente com o público, questões referentes aos filmes e locais onde foram produzidos. Estiveram presentes Baruch Blumberg, diretor do filme (Clandestino) exibido na Mostra Infantil, Manoela Veloso, diretora do filme (Farinhada), exibido na Mostra Tela Verde e Henrique César, diretor do filme (Sapito e a lagoa), integrante da Mostra Competitiva São cristóvão, além de Marilia Cristielle, Flaviane Vieira e Dedinha Ramos, realizadoras do mini documentário (Passe na Faixa), produzido durante a oficina de realização audiovisual proporcionada pelo I Festival Cinema na Faixa, que foi ministrada pelo realizador e produtor audiovisual Eudaldo Monção Jr. 

O público pode conferir a ação gastronômica (Cozinha Show) com a Chef Mônica Valois.


No domingo, o segundo dia de programação contou com uma ação gastronômica e cultural proporcionada pela Chef de Cozinha Mônica Valois, intitulada Cozinha Show, que  teve foco em um dos pratos mais tradicionais da gastronomia nordestina: o cuscuz. O Momento proporcionou a apresentação do prato regional (Cuscuz recheado com carne de caju e queijo coalho), os processos para fazer a carne de caju, modos de temperar a carne, além da montagem do prato. Teve também, oficina de grafite para iniciantes mediada pela grafiteira Deza. O público composto por crianças e jovens, experimentou as técnicas de pintura com spray e rolinho numa parede da comunidade, onde deixaram gravado o nome do festival. 


Oficina de grafite com Deza, proporcionada pelo I Festival Cinema na Faixa


As exibições cinematográficas começaram no final da tarde com exibição das Mostras Direitos Humanos, Acessível e Competitiva Sergipe. O festival novamente proporcionou o momento de interação dos realizadores com o público, que pode conhecer um pouco mais sobre as obras exibidas através da fala de seus diretores. Estiveram presentes Bruno Costa, diretor do filme (O Muro), Fellipe Paixão, diretor do filme (A live), Natally Janielle, diretora do filme (Apps de relacionamento: Febre ou furada?), Humberto Batista, ator do filme (Jamais serei seu pai), todos concorrentes na Mostra Competitiva Sergipe, além do realizador Cariolando dos Santos, diretor e roteirista do filme (Sinal vermelho: A arte de rua pede passagem), integrante da Mostra Diretos Humanos do festival. 


Henrique César, diretor do filme premiado na categoria São Cristóvão e Thais Mendes, produtora executiva do I Festival Cinema na Faixa. 


O Festival Cinema na Faixa premiou os melhores filmes das mostras São Cristóvão e Sergipe. O Júri oficial composto por Zezita Matos (Atriz), Elizabete Sampaio (Diretora e produtora), Lucas Dorea (Fotógrafo) e Mar Alves (Ator), concedeu o prêmio de melhor filme da Mostra São Cristóvão para (Sapito e a lagoa de Henrique César de São Cristóvão/SE), pelo contexto crítico social necessário para uma análise sobre o comportamento humano, por evidenciar um problema atual que se assemelha a uma realidade do que é a Faixa (Av. Chesf). O júri concedeu ainda na Mostra São Cristóvão, uma menção honrosa para o filme (Romaria do Senhor dos Passos de Cléverton Macedo), pela capacidade de proporcionar um enriquecimento sobre o conhecimento a respeito da cidade de São Cristóvão e a sua cultura religiosa, além do encantamento que o filme desperta no espectador para conhecer e viver a cidade.


O júri conferiu o prêmio de Melhor Filme da Mostra Sergipe do I Festival Cinema na Faixa para (Geruzinho de Juliana Teixeira, Luli Morante e Rafael Amorim, de Aracaju/SE) O júri destacou a obra como um trabalho visual de excelência para a representação de pessoas com um ideal, através de seus contos históricos e culturais. O júri concede ainda nesta categoria, as menções honrosas ao ator Bruno Brani, do filme (Um longa metragem sobre Fernando Pessoa) de Bruno Brani. A atriz Elisa Lemos do filme (Espelho) de Luciana Oliveira e ao ator Humberto Batista do filme (Jamais serei seu pai) de Jhon Kennedy Mauricio e Manoel Calixto.


Coincidentemente, o júri popular formado pelo público que teve oportunidade de escolher os melhores filmes de cada mostra competitiva através de cédula de votação, elegeu também, (Sapito e a lagoa de Henrique César de São Cristóvão/SE), como o melhor filme da Mostra São Cristóvão e (Geruzinho de Juliana Teixeira, Luli Morante e Rafael Amorim, de Aracaju/SE), como o melhor filme da Mostra Competitiva Sergipe, sendo os mais votados pelo público. A cerimônia encerrou com a entrega dos troféus, certificados e brindes aos vencedores. 


Parte de equipe do I Festival Cinema na Faixa durante encerramento do evento


O festival é uma realização Memorabilia Filmes, coordenado e produzido por Thaís Mendes e Eudaldo Monção Jr, com produção de Dedinha Ramos. O projeto está sendo viabilizado com recursos da Lei Paulo Gustavo, contemplado através do Edital nº 003/2023 de Chamamento Público para a Seleção de Projetos Audiovisuais promovido pela Prefeitura Municipal De São Cristóvão, por intermédio da FUMCTUR - Fundação Municipal De Cultura E Turismo “João Bebe Água”.



Mais em: https://memorabiliafilmes.wixsite.com/cinemanafaixa 


Siga no Instagram @CinemanaFaixa e @MemorabiliaFilmes

memorabilia filmes Comunidades e periferias são cristóvão são cristóvão/se
bookmark
myClappy
Espaço do Coletivo Pedra Rubra Rua Plínio Schimidt, 98, 98, ao lado da estação de trem “Autódromo” - Jardim Marcel Zona Sul de São Paulo (SP) - São Paulo / SP
As pessoas interessadas em participar do ciclo de estudos teóricos “O que é ser uma mulher periférica na sociedade patriarcalista e capitalista”, promovido pelo Coletivo Pedra Rubra (@coletivopedrarubra), com a escritora, educadora popular e feminista afroindígena Helena Silvestre (@helenitaluta), podem s...
Ver mais
myClappy
Sesc vila mariana e Centro cultural Arte em construção Sesc Vila Mariana - R. Pelotas, 141 - Vila Mariana, São Paulo - SP e Centro Cultural Arte em Construção - Av. dos Metalúrgicos, 2100 - Cidade Tiradentes, São Paulo - SP - Vila Mariana e Zona Leste - São Paulo / SP
Com apoio do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, o Circo Teatro Palombar (@circopalombar) promove o lançamento do livro “Circo Teatro Palombar: somos periferia; potência criativa!”, escrito por Adailtom Alves Teixeira e publicado pela Editora FALA. O livro narra a traj...
Ver mais
myClappy
Cine Teatro de Variedades Carlos Gomes R. Senador Fláquer, 110 - Centro, Santo André - SP - Santo André / SP
No dia 01 de junho de 2024 (sábado), às 13h, com entrada gratuita, o Coletivo Noroest (@coletivonoroest) realiza mais um evento da temporada “Circuito Quebrada Viva”, dessa vez no Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes, que fica na Rua Senador Fláquer, 110, no Centro de Santo André (SP), e convida a popul...
Ver mais
myClappy
Ver mais
Feed Perfil Tenha Conta Premium
Destaques Agenda
Castings artísticos Cursos de arte description Editais Culturais Eventos Peças de Teatro theater_comedy Teatros
Posts salvos