20

CINEMA e SÉRIES: Haverá retomada em 2021? Produtora de elenco Marcia Godinho acredita que será o "melhor ano" (se houver vacina)

"Nunca tinha visto o mercado [para série e Cinema] tão aquecido como no início desse ano", afirma Marcia Godinho, que há 13 anos trabalha como produtora de elenco.

Contudo, a pandemia forçou a paralisação de inúmeras produções audiovisuais. Atrizes, atores, técnicos, diretores, roteiristas e produtores se depararam com o aumento de incerteza sobre o seu futuro profissional.

Ainda que novos protocolos de segurança estejam a ser implementados, haverá trabalho no próximo ano? Que áreas estão sendo mais afetadas: Cinema, Publicidade, Séries? O que fazer enquanto não tenho trabalho? Muitas são as questões que surgem neste momento.

Para entender um pouco mais sobre a atual situação do mercado audiovisual e saber quais são as expectativas para o ano de 2021, conversamos com a produtora de elenco Marcia Godinho, que já trabalhou ao lado de diretores como Mauro Mendonça Filho, Rodrigo Meirelles, Sérgio Machado, Julia Jordão, Aly Muritiba e Marcos Jorge.

Apesar da pausa forçada nas produções, Marcia Godinho acredita que, por outro lado, o online veio aproximar o produtor de elenco do ator: "Essa parte foi muito interessante, de quebrar um pouco essa barreira, porque fica sempre o produtor de elenco como uma coisa distante, inalcançável, e na verdade, não é".

É possível dizer que estamos tendo uma retomada dos testes de elenco no audiovisual? Se sim, existe uma maior demanda entre áreas, isto é, Publicidade, Cinema e TV?

Quanto à retomada, eu sei que está rolando bastante coisa para Publicidade, mas eu trabalho mais com Série e Cinema, e ainda não estou envolvida em nenhum projeto. Eu vejo que alguns pouquíssimos produtores de elenco no Brasil, de Série e Cinema, estão com alguns projetos (início e em pré-produção), mas a maioria ainda não foi retomada. A ideia é que a retomada seja ano que vem.

É possível dizer que existe uma espécie de sazonalidade nos testes de elenco? Com a pandemia essa dinâmica foi alterada?

Eu acho que a palavra não é sazonalidade para os testes. Eu acho que com a chegada do streaming, aumentou claro [o número de testes], teve uma demanda muito maior, porque vieram mais séries, produções independentes aqui para o Brasil, mas por conta da pandemia houve essa pausa que a gente espera que seja retomada ano que vem.

Geralmente, pela minha experiência, Dezembro e Janeiro são os meses mais fracos do ano para trabalho, mas já aconteceu de entrar projeto em Dezembro. Sempre tem a pausa do Natal e do Réveillon, que aí sim ninguém trabalha e a gente já sabe que mesmo que quiséssemos fazer algum teste, os atores estarão viajando, encontrando suas famílias - é um outro momento em que não rola nada.

Como você avaliaria 2020 em termos de testes de elenco comparativamente a anos anteriores?

Eu estou desde 2017 sem parar, pegando um projeto atrás do outro, sendo que eu não trabalho com Publicidade, e esse ano, em especial, eu vi muitos projetos acontecendo no início do ano e essa pausa foi uma pena gigante – além de todas as questões que a pandemia causou. Eu nunca tinha visto o mercado tão aquecido como no início desse ano, para Série e para Cinema.

Quais têm sido os principais desafios para uma produtora de elenco durante a pandemia? E de que forma você procurado se adaptar a esse novo momento?

Para mim que não trabalho com Publicidade, foi uma grandessíssima questão. O meio que eu encontrei de continuar contribuindo e de continuar na minha área foi através de consultorias para atores* - porque querendo ou não, eu sou a pessoa final, junto com o diretor - passar para eles [atores], o entendimento do que a gente procura num ator, de como funciona o mercado, de como funcionam os testes, dar dicas de atuação.

Eu comecei a ver que o online abriu muitas portas para aproximar os produtores de elenco dos atores - e não só no eixo Rio-São Paulo -, eu pude dar consultoria para pessoas da região amazônica, do Pará, de outros lugares que normalmente não têm tanto acesso a cursos e tudo mais.

Essa parte foi muito interessante, de quebrar um pouco essa barreira, porque fica sempre uma coisa muito distante, o produtor de elenco como uma coisa distante, inalcançável, e na verdade, não é.

Quando a gente entra num projeto, a gente entra de cabeça e não tem tempo para conversar tanto, para dar todos os feedbacks que a gente gostaria de dar para todos os atores, nesse sentido, foi algo positivo e é assim que eu estou me virando, dando consultorias, workshops online.

Para mim está sendo muito interessante, conhecer novos talentos, pessoas que eu não conhecia antes, de poder contribuir para um mercado mais profissional. Para que as pessoas entendam o que a maioria dos diretores têm procurado hoje em dia, dessa linguagem cinematográfica que está indo para as séries também.

Qual a sua expectativa, como produtora de elenco, para o próximo ano? Você acredita numa retomada?

A minha expectativa é que nos primeiros meses do próximo ano, as coisas sejam retomadas, mas sei que tudo depende da questão da vacina - e não só da vacina ser descoberta, mas ela ser distribuída e eu sei que demora um tempo, tem a questão das idades, do SUS, do particular. Eu não sei como vai ser essa divisão, se você pagando, as produtoras pagando, vamos ter um acesso mais rápido a essas vacinas ou não. Eu, realmente, acredito que depende disso a retomada.

Mas eu tenho fé de que vai dar tudo certo, de que vai rolar e de que no primeiro trimestre do ano que vem, as coisas comecem a ser retomadas, pré-produções rolando. E aí quando rolar essa retomada, com segurança, 100%, vai vir bastante coisa, projetos que estavam acumulados para esse ano, retomada de projetos que foram parados.

Eu tenho um projeto que tem uma previsão de ser retomado em março, acredito que tendo a vacina, o ano que vem vai ser o nosso melhor ano (para o audiovisual).

Que conselho você deixaria às atrizes e atores neste momento?

O conselho que eu dou é se dedicar ao estudo. Se dedicar a você mesmo, está todo mundo num movimento interno, já que do lado de fora está uma confusão e a gente não sabe de nada, então está todo mundo meio que sendo obrigado a virar budista, e a pensar no dia de hoje.

Mas o que é que a gente pode fazer? Sobre o que é que a gente tem controle agora? Nós só temos controle sobre nós mesmos e olhe lá, então assistir tudo o que tiver para assistir. Se experimentar, fazer o seu próprio material, aproveitar que com o celular, hoje em dia, dá para fazer bastante coisa, buscar textos, se filmar, e estudar.

Aproveitar essa gama de cursos online que estão rolando, com preços mais acessíveis. Se não tem como pagar, vai assistir filmes, vai reproduzir as cenas e organizar o material. Entrar nos sistemas, como Elenco Digital, renovar cadastro com a Globo, tem rolado uma renovação online, e investir em si mesmo para quando as coisas voltarem, estar com tudo mais organizado.

Aquele tempo que a gente reclamava que não tinha antes para cuidar de si mesmo e para se organizar e investir, agora a gente tem.

Principais trabalhos de Marcia Godinho

Séries

  • Mal Secreto (Globoplay, O2), direção de Mauro Mendonça Filho e Rodrigo Meirelles
  • Hard (HBO, Gullane), direção de Rodrigo Meirelles e Julia Jordão
  • Os Irmãos Freitas (Canal Space/TNT, Gullane), direção de Aly Muritiba e Sérgio Machado
  • BUUU! (Globosat, Casablanca), direção de Chris Tex

Longas

  • Abestalhados 2 (Zencrane), direção de Marcos Jorge e Marcelo Botta
  • Deserto Particular (Grafo Audiovisual), direção de Aly Muritiba
  • Cidade Ilhada / O Adeus do Comandante (TC Filmes, Gullane), direção de Sérgio Machado
  • Meu Último Desejo (Aurora Filmes), direção de Arnaldo Jabor
  • Talvez Uma História de Amor (Chocolate Filmes), direção de Rodrigo Bernardo

*Link para workshops/consultoria de atores: https://www.instagram.com/marciagodinhocasting/

image

Cinema audiovisual séries retomada elenco